Experiências que reúnem o universo físico ao digital têm ocupado as discussões sobre a transformação no mercado e o impacto da inovação no desenvolvimento das empresas. Evento online e gratuito reúne especialistas do mercado nacional para discutirem sobre negócios ‘figitais’ nesta quinta-feira (10).

Futuro ‘figital’ é tendência para empresas em desenvolvimento

Por: Maria Babini | Em:
Tags:,

Cada vez mais, as empresas têm buscado caminhos para se adaptarem às novidades do mundo digital. O uso do termo figital, que engloba justamente a experiência que envolve o físico ao digital, tem ganhado espaço nas discussões sobre o futuro dos negócios. Especialistas como o professor e cientista Sílvio Meira, da TDS Company (The Digital Strategy Company), um dos nomes mais importantes do Brasil quando o assunto é inovação e empreendedorismo, apontam que a pandemia acelerou processos que talvez levassem de cinco a dez anos para serem postos em prática.


Quer receber os conteúdos da TrendsCE no seu smartphone?
Acesse o nosso Whatsapp e dê um oi para a gente.


“Foi o aprendizado ABC, que não tem nada a ver com a educação básica, mas com Aprendizado Baseado no Caos. Em consequência disso, muita gente acha que, por colocar um e-commerce ou aprimorar suas plataformas de comércio eletrônico, está fazendo transformação digital. Para esses, ‘parabéns, vocês acabam de desembarcar em 1994’, ou seja, estão pelo menos 27 anos atrasados. E-commerce começou lá em 1994, com a Amazon”.

Sílvio Meira, cientista-chefe da TDS Company

Para ele, a diferença dos modelos de negócios digitalizados para os digitais é que os verdadeiramente digitais foram pensados partindo do princípio de que a inovação digital será feita para modelar um negócio. “Já o negócio digitalizado sofre uma introdução de tecnologias digitais para encapar o modelo e os processos de negócios legados, analógicos. Muita gente tem uma ilusão de que está fazendo transformação digital quando na realidade só está tratando de digitalização. Isso pode ser fatal para muitos negócios”, completa o cientista e professor.

O mesmo pensamento é compartilhado pelo contador e advogado Ítalo Bandeira, que é sócio-diretor da Abax Auditoria e Consultoria e membro do conselho da Inova Mundo. “O maior erro é pensar transformação digital somente como tecnologia, quando, na verdade, isso perpassa mudanças estruturais, de cultura. Para mim, a transformação digital tem a ver com estratégia. A tecnologia entra para resolver pontos destacados ao longo desse caminho estratégico que vai ser definido”, avalia. Ítalo é também especialista em Administração Financeira e Direito Tributário e tem MBA em Transformação Digital e Futuro dos Negócios.

Transformação no mercado

Dentro desse contexto, Ítalo Bandeira pontua que existem três pontos que são relevantes quando a questão é perceber o que tem funcionado como estratégia.

“Você tem que pensar em transformação. Transformação de quê? Transformação da experiência do cliente, transformação dos processos operacionais e transformação dos modelos de negócios. E a tecnologia? É o meio. Mas ela não é por si só o caminho”.

Ítalo Bandeira, MBA em Transformação Digital e Futuro dos Negócios

Ele aponta ainda que várias tendências como “a automação de marketing, a inteligência artificial cada vez mais próxima nos equipamentos que estamos comprando, cada vez mais a internet das coisas dentro do nosso contexto de mundo, tanto residencial quanto comercial” já são sinais dessas transformações.

Sílvio Meira também elenca três macroprocessos sobre o melhor caminho para capacitar equipes em ações de mercado no mundo digital. O primeiro deles é entender como o mundo, os mercados e a competição estão se tornando figitais, e quais são as propriedades deste espaço-tempo. “Esse seria o conhecimento minimamente viável para começar a pensar no segundo passo, o de descobrir – ou criar – oportunidades estratégicas para começar a transformar o negócio”, explica.

De acordo com ele, o terceiro é aprender a experimentar, a partir de hipóteses, e testá-las em aproximações da realidade onde o produto, serviço ou modelo de negócio iria ou irá competir. “É criar laboratórios para testar, errar e aprender, por quê, para, quando, onde e como, fazer o quê, pra quem fazer”, aconselha o cientista-chefe da TDS Company.

O futuro é figital

Sílvio Meira vai marcar presença nesta quinta-feira (10), no evento 100% online e gratuito Arena 5.0 – O Futuro já é Figital, realizado pelas TrendsCE e Inova Mundo, com parceria da TDS Company e Câmara Brasil Portugal no Ceará. A programação começará a partir das 18h40, com transmissão ao vivo no canal da TrendsCE no YouTube.

Também vão marcar presença no evento o professor e pesquisador André Neves, da TDS Company, que tem ampla experiência em design de sistemas de computação; o presidente da Câmara de Comércio Brasil Portugal no Ceará, Eugênio Vieira, que é também sócio-fundador do APSV Advogados; e Elisa Correia, executiva que comanda a área de maior faturamento da Rede Moura.

A inscrição no evento é gratuita e está aberta ao público em futurofigital.com

A tradução dos conteúdos é realizada automaticamente pelo Gtranslate.
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Top 5: Mais lidas

Cadastre-se em nossa newsletter