Para responder às novas demandas do mercado e dos consumidores, as empresas e instituições precisam investir em tecnologia de informação e comunicação para aumentar a produtividade e eficiência dos seus processos e produções. (Foto: Freepik)

Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e o Ecossistema de Inovação em alta

Por: Leonardo Cavalcante | Em:
Tags:

O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (TIC) nos últimos anos, com o aprimoramento e expansão do acesso à Internet, criou um ambiente de infinitas possibilidades que estão revolucionando o mercado de trabalho, o ensino e o desenvolvimento econômico em todo o mundo. Para responder às novas demandas do mercado e dos consumidores, as empresas e instituições precisam investir em tecnologias de informação e comunicação para aumentar a produtividade e eficiência dos seus processos e produções.


Quer receber os conteúdos da TrendsCE no seu smartphone?
Acesse o nosso Whatsapp e dê um oi para a gente.


No segundo ano da pandemia, as atividades on-line seguiram presentes no cotidiano dos brasileiros, mantendo-se em crescimento elevado em comparação ao período anterior à crise sanitária. Contudo, a adoção significativa da Internet por diferentes estratos da população não foi capaz de eliminar as desigualdades digitais no país. Esta é conclusão que podemos observar na última edição do Painel TIC COVID-19, do Comitê Gestor da Internet no Brasil, conduzido pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR.

Segundo o estudo, constatamos que a tendência de digitalização que observamos como efeito da pandemia teve continuidade no primeiro semestre de 2021 em atividades de comércio eletrônico e de serviços públicos on-line, o que indica que as transformações verificadas no período podem ter um caráter mais permanente na sociedade. No entanto, as disparidades seguem sendo um ponto relevante de atenção para as políticas públicas. Já que as classes C, D e E aparecem com mais atividades pela Internet, ainda assim estão muito abaixo da atividade das classes A e B.

Mesmo com a disparidade entre as classes sociais, o e-commerce cresceu 26,9% e faturou R$ 161 BI em 2021 no Brasil. O levantamento indica que o e-commerce deve faturar 9% a mais em 2022. Houve um aumento de 16,9% no número de pedidos, com 353 milhões de entregas. O ticket médio também registrou aumento, de 8,6% em 2021 em relação a 2020, atingindo a média de R$ 455 por compra. O balanço mostrou aumento no número de pedidos do primeiro trimestre, que passou de 49,9 milhões, em 2020, para 78,5 milhões em 2021. O setor já apresentava crescimento nos cinco primeiros meses de 2020. As categorias com mais pedidos realizados durante o ano foram moda, beleza, perfumaria e saúde. Esta apresentou crescimento de 87% no faturamento de venda de remédios pela internet, em 2021. Celulares, eletrodomésticos e eletroeletrônicos foram os segmentos com maior faturamento em 2021. E as regiões de maior destaque são o Sudeste, que concentrou 62,3% das encomendas de 2021, e o Nordeste, com 15,1% das encomendas – o equivalente a 3,5 pontos percentuais a mais que em 2020 para a região.

A pandemia acelerou a digitalização e fez com que a percepção do poder de transformação da tecnologia na vida das pessoas se tornasse inquestionável e a participação ativa dos setores privado e público é imprescindível. No Ceará temos avanços importantes, neste mês de abril foi lançado o Projeto C-Jovem, com a meta de capacitar, em até cinco anos, 100 mil jovens no desenvolvimento de tecnologias. A iniciativa, que reúne Governo do Ceará, Instituições de Ensino Superior e grandes empresas do setor, nasce diante da necessidade de profissionais para o setor de TIC no Brasil. Na primeira etapa, o projeto-piloto na rede pública estadual de ensino capacitará 209 professores e até 4.358 alunos dos cursos técnicos em Rede de Computadores e em Informática de 109 Escolas Estaduais de Educação Profissional.

Leonardo Cavalcante, CEO da Nestec Tecnologia, é referência em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), com experiências em Smart Cities, Blockchain, IoTs e Ciência de Dados. Msc em Sistemas Inteligentes e MsCBA em Gestão de Projetos e Inovação.

A tradução dos conteúdos é realizada automaticamente pelo Gtranslate.
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Top 5: Mais lidas

Cadastre-se em nossa newsletter