A terceira edição da pesquisa contou com a participação de mais de 86 mil pessoas e 300 companhias que atuam no país. (Foto: Divulgação)

C. Rolim Engenharia recebe o Rating A no Prêmio “Melhores para o Brasil” da Humanizadas

Por: Redação | Em:
Tags:

A C. Rolim Engenharia, construtora cearense com mais de 40 anos de mercado, foi reconhecida com o Selo A no Prêmio “Melhores para o Brasil”, promovido pela Humanizadas, empresa de inteligência de dados que movem a Nova Economia. O anúncio dos vencedores foi feito em evento realizado na manhã desta quarta-feira (23). A premiação reconhece as empresas e organizações que são destaques na pesquisa Melhores para o Brasil e que estão comprometidas com uma Nova Economia. A terceira edição da pesquisa contou com a participação de mais de 86 mil pessoas e 300 companhias que atuam no país. A C. Rolim Engenharia recebeu a premiação no Rating A, o primeiro nível em uma categorização que vai até o nível E, sendo a única empresa da Construção Civil e uma das seis do Ceará premiadas nesta edição.


Quer receber os conteúdos da TrendsCE no seu smartphone?
Acesse o nosso Whatsapp e dê um oi para a gente.


“Esse é o resultado de um trabalho que vem sendo executado há 45 anos pela C. Rolim Engenharia. Nosso propósito é construir edificações, edificando vidas. Essas vidas não são apenas dos nossos clientes, são também dos nossos colaboradores, das pessoas que vivem no entorno das nossas obras e de todos os stakeholders, todas as pessoas com quem nos conectamos no dia a dia. Edificar vidas é dar oportunidades, investir em pessoas, manter um diálogo aberto, investir em impacto social e ambiental, pensar em como podemos transformar o sistema econômico, usando a nossa empresa para ser um instrumento de construção da nova economia. Fico muito grata pelo reconhecimento, já que isso tudo é uma busca diária dentro da nossa empresa e mostra que estamos seguindo na direção certa, por onde vamos continuar guiando nossos esforços”, celebra Ticiana Rolim Queiroz, diretora de Gente e Impacto Social da C.Rolim Engenharia.

Ticiana Rolim Queiroz, diretora de Gente e Impacto Social da C.Rolim Engenharia. (Foto: Divulgação)

As empresas e organizações premiadas no “Melhores para o Brasil” têm por característica estarem abertas a ouvir feedbacks, solucionar problemas reais e gerar valor superior para todas as partes interessadas no sucesso do negócio. A pesquisa é realizada de maneira independente e apartidária, com uma metodologia diferenciada e baseada na imparcialidade de avaliadores independentes que coletam, sintetizam e analisam a percepção dos stakeholders de cada instituição.

Segundo o coordenador da pesquisa, Pedro Paro, CEO e fundador da Humanizadas, pesquisador de doutorado do Grupo de Gestão de Mudanças da Universidade de São Paulo (USP), a análise dos dados dos múltiplos stakeholders (todas as partes interessadas no sucesso do negócio) dessas empresas aponta para cinco pontos de inflexão que exercem pressão nas organizações em prol da Nova Economia. “Destaco a relevância dos Millennials e da Geração Z, que agora passam a provocar mudanças na maneira como as empresas inovam e na forma como respondem às demandas na experiência dos clientes e dos colaboradores. Em termos de investimentos, também podemos ressaltar a busca por modelos e iniciativas orientados a impacto ESG (Environmental, Social and Governance). Essas alterações no comportamento, envolvendo diferentes públicos, revelam uma mudança de hábitos na Economia e, consequentemente, em nossa sociedade. Para algumas empresas, essas mudanças representam grandes riscos ao negócio e, para outras, representam uma série de oportunidades de crescimento; o que vai fazer a diferença é justamente o estágio de maturidade da liderança e da gestão de cada organização. Os resultados da pesquisa comprovam que o fator humano tem uma relevância estratégica de ponta a ponta nas organizações, contrariando conceitos de uma velha economia”, afirma o professor Pedro Paro.

Pesquisa Melhores para o Brasil – Metodologia Inédita

A avaliação multi-stakeholders utiliza o instrumento Conscious Business Assessment (CBA®), que mede o estágio de maturidade e a qualidade das relações que a organização nutre com seus diferentes públicos. O diferencial da avaliação é justamente o fato de considerar a perspectiva de todos os stakeholders (as partes interessadas no sucesso do negócio) e não trabalhar com dados autodeclaratórios. Boa parte das organizações está acostumada com avaliações de Clima e/ou Cultura Organizacional nas quais está envolvido apenas o público interno. Nesta pesquisa, diferentemente, são envolvidos de maneira integrada todos os stakeholders de uma organização. Além disso, boa parte dos instrumentos e das avaliações de Sustentabilidade e ESG (Environmental, Social and Governance) trabalha com dados autodeclaratórios (a própria organização responde sua autoavaliação) ou então com taxas amostrais de baixa significância estatística (realização de algumas entrevistas, workshops, grupos focais ou aplicação de questionários sem validação científica e profundidade estatística).

Podem ser avaliadas organizações de diferentes portes (micro, pequeno, médio e grande), tipos (empresas, startups, ONGs e órgãos públicos) e segmentos (indústria, serviços, agronegócio, tecnologia e outros). Para participar da pesquisa, basta a organização solicitar uma avaliação para a Humanizadas. O processo ocorre de maneira totalmente eletrônica. Em um período de 15 a 20 dias são consultadas taxas amostrais de respostas referentes aos diferentes públicos da organização (lideranças, colaboradores, clientes, parceiros e sociedade em geral), buscando-se atingir 5% de margem de erro e 95% de grau de confiança nas análises. A avaliação considera a percepção que esses públicos possuem sobre a organização, analisando não apenas indicadores quantitativos, mas também a experiência e as histórias que são construídas. Além da percepção dos stakeholders, a pesquisa considera também as práticas e as ações geradas pelas organizações nos últimos dez anos, com a intenção de identificar impactos positivos ou negativos gerados nessas relações.

A metodologia dos Ratings de Consciência faz parte de um projeto de doutorado na Universidade de São Paulo. Um dos pilares da pesquisa é a análise dos Princípios de Gestão conectados com a metodologia do professor Raj Sisodia, fundador do Capitalismo Consciente. Nos critérios de avaliação são considerados os algoritmos desenvolvidos pela Humanizadas que avaliam quatro dimensões principais:

Reputação da marca: Por meio de notas de zero a dez, os respondentes avaliam a reputação da organização a partir das experiências geradas, a satisfação com o trabalho ou os serviços prestados e a perspectiva de futuro.

Princípios de gestão: Por meio de questões de múltipla escolha, os respondentes identificam o grau de maturidade dos princípios de gestão. São analisados cinco princípios fundamentais – propósito, estratégia de valor, cultura, liderança e capacidade de aprendizado e mudança. No detalhamento dos princípios, temos o Propósito (expressa o significado e a intenção genuína que as pessoas atribuem ao próprio papel, às relações e à visão de futuro do negócio); Estratégia de Valor (representa como a organização busca colocar seu propósito em prática, gerando valor para seus múltiplos stakeholders); Cultura (reflete o modelo mental, os comportamentos e o design organizacional utilizados para transformar a estratégia em resultados);  Aprendizado e Mudança (representa a capacidade da organização de aprender, inovar e desenvolver novas iniciativas de mudança); e Liderança (expressa o comportamento e a atitude diária das lideranças para formar a cultura desejada que irá gerar valor compartilhado para os stakeholders).

Cultura organizacional: Por meio de uma avaliação de valores, os respondentes identificam os valores mais presentes nas relações com a organização; essa avaliação ajuda a identificar uma série de indicadores culturais, como o arquétipo da cultura organizacional, o grau de bem-estar cultural, a maturidade e o alinhamento cultural.

Narrativas e histórias: por meio de questões abertas e análise de conteúdo dos últimos dez anos de notícias sobre a organização são analisadas as histórias, práticas e experiências promovidas pela organização, com a intenção de identificar impactos positivos (geração de emprego e renda, melhoria de condições sociais, ambientais, culturais e outras) e impactos negativos (crimes ambientais, corrupção, práticas abusivas, trabalho análogo à escravidão e diversos outros crimes cometidos).

A lista completa dos premiados e destaques 2021|2022 da pesquisa “Melhores para o Brasil” poderá ser acessada no site www.humanizadas.com.

A tradução dos conteúdos é realizada automaticamente pelo Gtranslate.
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Top 5: Mais lidas

Cadastre-se em nossa newsletter