NFT é a sigla em inglês para Token Não Fungível (Non-Fungible Token) que significa, na prática, um item exclusivo, que pode ser digital, como uma arte gráfica feita no computador, itens de jogos digitais ou memes, que podem ser negociados e transferidos de forma online. (Foto: Freepik)

NFTs: a expansão dos bens digitais e exclusivos

Por: Kim Belluco | Em:
Tags:

Os NFTs são mídias criadas na tecnologia blockchain que têm atributos únicos e digitalmente apropriáveis. Trata-se da sigla em inglês para Token Não Fungível (Non-Fungible Token) que significa, na prática, um item exclusivo, que pode ser digital, como uma arte gráfica feita no computador, itens de jogos digitais ou memes, que podem ser negociados e transferidos de forma online. Um NFT é um certificado digital de propriedade que qualquer um pode confirmar a autenticidade, mas ninguém pode alterar.


Quer receber os conteúdos da TrendsCE no seu smartphone?
Acesse o nosso Whatsapp e dê um oi para a gente.


Devido às suas características, o NFT viabiliza aplicações revolucionárias na indústria, como a possibilidade de ter bens digitais no Metaverso. Estima-se que, em 2021, aproximadamente R$ 153 bilhões movimentaram o mercado de criptomoedas relacionado a NFTs, sendo R$ 90 bilhões apenas da OpenSea, um dos maiores marketplaces.

“A principal plataforma de negociação de NFTs é a Opensea – um marketplace aberto de criação e negociação de arte digital. A SuperRare e KnownOrigin são outros exemplos de plataformas credíveis”, disse Yulgan Lira, fundador e CEO da Colb Asset, empresa suíça focada em tokenização de ativos financeiros.

Ele explicou também sobre o modelo de compra dos NFTs: “A principal forma de compra é por meio das ferramentas de web3.0, o que significa ter uma carteira digital de custódia própria, como o Metamask, e ter criptomoedas. Com isso, você poderá se conectar na plataforma e realizar as compras de forma direta”.

Em 2021, o mercado de NFTS sofreu altos e baixos. No primeiro trimestre deste ano, houve uma movimentação 20 vezes superior aos três meses finais de 2020. O crescimento continuou no segundo trimestre de 2021, mas apresentou uma leve queda no final do ano.

“Ter um NFT é ter uma parte da cultura da internet. O próprio fato de ‘ter’ um bem digital já é um passo de inovação importante, já que isso não era possível antes do blockchain. Alguns NFTs podem registrar valorização, mas também se desvalorizarem no mercado. Do ponto de vista financeiro, trata-se de um risco considerável, que deve ser medido pelo comprador”, completou Yulgan Lira.

Cryptopunks, Bored Apes Yacht Club, Cool Cats são exemplos de NFTs valiosos. O primeiro, inclusive, é o NFT mais popular, com mais de US$ 17 bilhões em volume de transações, e constatou que grande parte das visitas oriundas da web vieram do sul da Ásia, América do Norte, Europa Ocidental e América Latina.

NFT em jogos digitais

Os jogos NFTs são sucessos absolutos na nova geração. Muitos jogos já aderiram ao modelo “play-to-earn” (jogue para ganhar) ou até mesmo ao modo in-game (conquista de itens colecionáveis). O mais famoso deles é o Axie Infinity, desenvolvido pelo estúdio vietnamita Sky Mavis, que usa criptomoedas baseadas em Ethereum, Axie Infinity Shards e Smooth Love Potion, com mais de 2 milhões de usuários ativos. Outros jogos estão ganhando muitos adeptos nas últimas semanas, como o BombCrypto, CryptoCars, CryptoPlanes, Zodiacs e The Crypto You.

“O Axie Infinity foi quem iniciou o boom dos NFTs. Foi o jogo que deu o pontapé inicial não apenas na criação de outros games, mas gerou um conhecimento a mais sobre o tema. A rentabilidade atraiu as pessoas, que investiram no jogo, e o deixou super popular. Movimentou muito o mercado e valorizou a moeda do jogo. Só para ter uma ideia, eu, que não dedico tempo total ao jogo por ter outra fonte de renda, recuperei o valor investido em menos de um mês. A partir daí muitos jogos surgiram. Não existe um padrão. São vários tipos de games, aqueles que você joga manualmente e os chamados ‘farm’ (farmando), que basicamente você compra o boneco, mas não movimenta ele, como se fosse minerar bitcoins, mas na plataforma do jogo”, afirmou o gamer e empreendedor Luiz Coelho.

Os jogos funcionam dentro da tecnologia de criptografia blockchain, a mesma usada nas negociações da bitcoin. As negociações e trocas de mercadorias ocorrem dentro do próprio sistema e os bens são únicos, similares a de uma patente. Ao ganhar ou registrar um ativo, ele se torna único, através de um código disponibilizado pelo game. E os novos bens podem ser conquistados conforme sua progressão dentro do jogo, ou até mesmo gerar lucro ao gamer.

“O jogo NFT é uma forma de você ser recompensado por jogar. Você gastava dinheiro comprando coisas do jogo, mas não ganhava nada de volta. Agora você investe um capital e é recompensado, mas tudo gira em torno de probabilidade, lembrando muito a mecânica de um cassino. Se você acertar o projeto, acertar o ‘time’, você consegue fazer um bom dinheiro. É um mercado de ação, só que mais volátil. É algo que exige muito cuidado, mas conheço muita gente que está vivendo só de jogos de NFT”, concluiu.

Segundo o diretor de Tecnologia da Investools, todo NFT é assinado criptograficamente e a chave marcada nessa assinatura comprova quem é o dono. O sistema nunca foi hackeado.

A tradução dos conteúdos é realizada automaticamente pelo Gtranslate.
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Top 5: Mais lidas

Cadastre-se em nossa newsletter