O caos tomou conta do país após o avanço do Taleban, no sábado, 14, fazendo com que milhares de pessoas se dirigissem ao aeroporto, onde aviões tentavam tirar as tropas norte-americanas, civis e cidadãos de diversos países. (Foto: Freepik)

Entenda como a crise no Afeganistão afeta a economia brasileira

Por: Giovana Brito | Em:
Tags:

Após a tomada de Cabul (capital do Afeganistão) pelo Talibã neste domingo, 15, o grupo retomou ao poder após ter sido retirado por forças militares lideradas pelos Estados Unidos em 2001.


Quer receber os conteúdos da TrendsCE no seu smartphone?
Acesse o nosso Whatsapp e dê um oi para a gente.


O caos tomou conta do país após o avanço do Taleban, no sábado, 14, fazendo com que milhares de pessoas se dirigissem ao aeroporto, onde aviões tentavam tirar as tropas norte-americanas, civis e cidadãos de diversos países.

Os impactos da retirada dos Estados Unidos para a economia brasileira não serão significativos, pois o país tem poucas ligações com o mercado internacional. Segundo o economista Henrique Marinho, o Afeganistão é um país que praticamente não tem relações econômicas com o Brasil e essa é uma crise muito mais regional do que internacional.

“O Afeganistão é um país fechado e que praticamente não tem relações econômicas com o Brasil. A nação vive uma crise de tomada de poder com o governo estabelecido, então poderá afetar muito mais os países que são fronteira”, explica.

Para o Brasil, o impacto será sentido apenas se a situação de conflito se generalizar e, assim, haverá algum respaldo. “Se essa crise se estender, na região, pode ter um problema com o petróleo, no embargo e exportação de outros países, mas isso, por enquanto, é uma hipótese”, afirma Marinho.

A tradução dos conteúdos é realizada automaticamente pelo Gtranslate.
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Top 5: Mais lidas

Cadastre-se em nossa newsletter