As vantagens e os ganhos que a tecnologia trouxe e ainda deve trazer para o mercado imobiliário são enormes. Além de dar velocidade aos processos internos, os clientes se mostram bastante contentes com o novo formato de atendimento e com a forma como, agora, podem conhecer os empreendimentos. (Foto: Divulgação/Construtora Dias de Souza)

Novas tecnologias transformam o mercado imobiliário

Por: Anchieta Dantas Jr. | Em:
Tags:

Acompanhando a tendência de empresas de diversos setores, as novas tecnologias também vêm transformando o mercado imobiliário. Na esteira de se adaptar às demandas de seus clientes e suas respectivas necessidades, os investimentos em tecnologias aumentaram e muitas inovações já vêm sendo utilizadas em larga escala pelo país, incluindo o Estado do Ceará. Um movimento que facilita os processos e, consequentemente, resulta no aumento das vendas


Quer receber os conteúdos da TrendsCE no seu smartphone?
Acesse o nosso Whatsapp e dê um oi para a gente.


Do atendimento 100% on-line, por meio de redes sociais e plataformas responsivas, a visitas remotas e passeios virtuais pelos imóveis, passando por anúncios com QR Code e assinaturas de contratos feitas eletronicamente – entre outras facilidades que só a tecnologia permite -, os clientes já estão se acostumando ao meio digital na hora de comprar o seu imóvel.

E em meio às ferramentas de desenvolvimento em alta, o big data, a inteligência artificial e a realidade aumentada são as vedetes do que está por trás da divulgação de novos lançamentos imobiliários e da forma como o setor vem atendendo e encantando a clientela.

“O mercado imobiliário cearense está avançando celeremente cada dia mais para o virtual em atendimento, embora não vá deixar de lado o processo presencial. Há algum tempo já existem no Estado algumas construtoras e imobiliárias com recursos tecnológicos como, por exemplo, os óculos de realidade virtual, por meio dos quais os produtos são apresentados”

Tibério Benevides, presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Ceará (Creci-CE).

Conforme disse, “os arquitetos já estão fazendo as maquetes e animações virtuais e, o Creci-CE por sua vez, também tem a intenção de digitalizar os seus processos, tanto de pedido de inscrição de estágio, inscrição de pessoa física e jurídica digitalmente”.

De fato, emenda Daniel Simões, diretor de Incorporações do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Ceará (Sinduscon-CE) e diretor comercial da J. Simões Engenharia, o processo de compra vem mudando bastante nos últimos anos. 

“Desde 2013, por exemplo, já se adotava sistemas de CRM (sigla em inglês para Gestão de Relacionamento com o Cliente), geração de leads na internet etc. Porém, o que tem acontecido desde 2019 é que o cliente quer ser atendido da forma que ele entende ser a mais cômoda para ele. Hoje, a gente utiliza o conceito de Omnichannel. O que vem a ser isso? É basicamente atender o cliente em todas as plataformas. Isto porque cada cliente tem as suas particularidades. Você vai ter aquele que é mais adepto a uma determinada tecnologia, como colocar um óculos de realidade virtual para visitar um imóvel, que tem crescido bastante no nosso setor. Enquanto tem aquele que quer ver o imóvel físico seja dentro da obra ou no stand de vendas”

Daniel Simões, diretor de Incorporações do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Ceará (Sinduscon-CE) e diretor comercial da J. Simões Engenharia

Perfil do cliente é determinante

Na sua avaliação, o que se percebe é que existem vários perfis de clientes. “Portanto, não existe um só caminho a ser traçado. Por isso, precisamos atender os clientes da forma como cada um quer ser atendido”, aponta.

“Hoje, para se ter uma ideia, uma das coisas que menos impacta no nosso processo de comercialização é o stand de vendas no local. Mais de 60% das nossas vendas, são feitas, de alguma forma, por meio da internet, seja por uma geração de lead no Facebook ou Google, assim como no atendimento automatizado pelo WhatsApp. Ou seja, o cliente tem acesso a todas as informações por meio da inteligência artificial e depois que ele tem contato com o básico, um corretor assume o atendimento. Inclusive, esse cliente consegue fazer uma visita virtual a partir do seu smartphone, o que é muito interessante. Em resumo, a gente tem investido em realidade virtual acessível ao cliente. Ele não precisa, obrigatoriamente, usar um óculos específico para isso”, expõe.

Segundo Simões, a tecnologia tem sido bastante útil para que atender o cliente em cada uma das fases do processo de compra da forma que ele considere mais importante. “Desde aqueles que vão usar o óculos de realidade virtual; àqueles que gostam de ser atendidos 100% via WhatsApp; àqueles para os quais produzimos vídeos personalizados, inclusive em 3D, e enviamos para que eles possam se sentir dentro do imóvel; enquanto àqueles clientes que ainda querem ir ao stand de vendas ou à sede da construtora e deseja assinar um contrato físico”, explica.

Entretanto, ele aponta um dado importante: “para se ter uma ideia, hoje, mais de 80% dos contratos que emitimos na nossa empresa são eletrônicos. Então, se quiser, o cliente não precisa nem sair de casa para comprar um imóvel. É possível fazer tudo de forma virtual”.

E assim como Tibério Benevides, do Creci-CE, Simões também acredita que o mercado imobiliário cearense está bastante evoluído no uso de novas tecnologias. “Temos empresas no Ceará que investem bastante em tecnologias. Empresas que entendem que a tecnologia não é só marketing. Percebem que a inovação tem que ter foco no consumidor, trazendo benefícios para ele, reduzindo custos do condomínio, proporcionando uma melhor gestão das áreas comuns do empreendimento etc. Além disso, há quem pense, inclusive, no investimento tecnológico pós-obra. Ou seja, após o processo de compra e construção. Nesse sentido, a tecnologia pode ajudar em futuras vistorias de forma eletrônica, na solicitação de manutenções no imóvel, focando sempre na comodidade do cliente”, conclui.

O que está em alta no Ceará

Segundo Marcelo Prado, gerente comercial da Construtora Dias de Sousa, as visitas virtuais, usando tecnologias de imagens em 360º, evoluíram. Com a intensificação do uso de inteligência artificial e da realidade aumentada, conta, a experiência do cliente na hora de conhecer um imóvel ganhou outro patamar. “Antes era preciso um apartamento decorado para criar essa espécie de visita virtual. Hoje não. Antes mesmo do empreendimento iniciar a construção, com a adoção da inteligência artificial e da realidade aumentada, é possível apresentar para o cliente os nossos lançamentos”, expõe.

“Embora o cliente ainda possa ver a maquete do empreendimento no stand de vendas, hoje em dia, já temos salas especialmente preparadas para um passeio virtual pelo imóvel. Com a utilização de óculos de realidade virtual, por exemplo, o cliente consegue caminhar pelo empreendimento, percorrendo as áreas de lazer e os cômodos dos apartamentos de acordo com a metragem e a planta. Isso faz com que ele se movimenta pelo imóvel como se estivesse dentro dele”

Marcelo Prado, gerente comercial da Construtora Dias de Sousa

Na sua avaliação, esta facilidade trouxe muitos ganhos tanto para a construtora como para o consumidor, ajudando o empreendimento a evoluir antes mesmo da sua construção. “Quando apresentamos um imóvel, é muito comum o cliente dar a sua opinião. Às vezes, diferenciais e detalhes por eles percebidos ou seus hábitos individuais na relação com o imóvel se tornam argumentos de vendas, nos inspirando a mostrar para os demais. Isso também ajuda para que as plantas dos apartamentos evoluam antes mesmo da construção. Por isso, certamente, os passeios virtuais estarão presentes em todos os lançamentos daqui por diante, levando o consumidor a visitar o imóvel de onde ele estiver”, justifica.

Na mesma linha de raciocínio, Mirella Morotte e Diogo Milanese, respectivamente coordenadora de marketing e gerente comercial da BSPAR Incorporações, enaltecem os passeios virtuais na apresentação dos lançamentos. 

“O uso da inteligência artificial, realidade aumentada e da modelagem 3D em todas as fases do projeto revolucionou os passeios virtuais pelos imóveis. Tornando isso possível antes mesmo da sua materialização. A ferramenta que utilizamos é bastante fiel à realidade. Por meio de uma tela touch, em uma TV de 55 polegadas, o cliente consegue não só percorrer cada cômodo, como também ter, por exemplo, a vista exata da janela do apartamento da altura que escolher e em variados horários do dia, vendo como será a incidência do sol. Ao mesmo tempo, ele pode ver os apartamentos decorados em todas as metragens e plantas oferecidas. Ou seja, a gente traz o cliente para dentro do empreendimento. Isso é inovador”, comemora.

De acordo com Mirella, apesar de essa ter sido uma proposta concebida para atender as restrições impostas pela pandemia do Coronavírus e não deixar de atender a clientela, hoje ela é um absoluto sucesso.

“Nós buscamos no mercado as tecnologias que nos proporcionassem esse atendimento. Com a proposta de o cliente poder conhecer a arquitetura, o paisagismo, os interiores dos apartamentos e as áreas comuns”

Mirella Morotte, coordenadora de marketing

Mas as inovações vão além dos passeios virtuais. “Exemplo disso é que, hoje, no processo de divulgação de um lançamento, o panfletista anda com um a placa com um QR Code. Assim, a pessoa que não quiser receber o panfleto, pode, dentro do carro, mirar a câmera do celular para esse código e ser direcionado para uma plataforma onde terá acesso a todas as informações sobre o imóvel em um só lugar”, destaca Marcelo Prado, da Dias de Sousa.

“Por meio do QR Code, além das informações sobre os imóveis, o cliente pode visitar virtualmente o imóvel e já abrir um atendimento pelo WhatsApp com o corretor, tirando todas as suas dúvidas, acessando preços etc.”, completa Diogo Milanese, da BSPAR.

Sem contar, fala, que uma vez decidida a compra, “a assinatura do contrato ser totalmente digital, com uma cópia, assinada por todas as partes, ela é disponibilizada para o cliente baixar e guardar em formato PDF”.

Conforme disse, os corretores de imóveis também ganham nesse processo. “A BSPAR, por exemplo, disponibiliza um aplicativo para os corretores, por meio do qual eles têm acesso a tabelas, materiais e imagens sempre atualizados, assim como ficam por dentro de todas as novidades da empresa”, revela.

“As vantagens e os ganhos que a tecnologia trouxe e ainda deve trazer para o mercado imobiliário são enormes. Além de dar velocidade aos processos internos, os clientes se mostram bastante contentes com o novo formato de atendimento e com a forma como, agora, podem conhecer os empreendimentos”, afirma.

A tradução dos conteúdos é realizada automaticamente pelo Gtranslate.
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Top 5: Mais lidas

Cadastre-se em nossa newsletter